Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se
Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se

o empecilho que pode trazer é ter que fazer alterações no projeto inicial.

O projeto pode ser alterado?

4 respostas

Caro Ricardo,

Obrigado pela sua postagem!

Um dos princípios ágeis é ser bastante flexível as mudanças e alterações ao longo do processo de desenvolvimento de um projeto.

Portanto, é bastante comum ocorrerem alterações no projeto em fase de execução com muita naturalidade e aceitação dos envolvidos e sem gerar grandes impactos no valor final que se espera com a execução do projeto.

A questão do "empecilho" citado em relação ao projeto inicial é para podermos de fato colocar o projeto num ciclo de produção, pois se não obtivermos e preservarmos definições iniciais, tais como: visão geral dos épicos, perfil de equipe requeridos , valores buscados com a entrega do projeto, por exemplo, podemos ficar totalmente sem rumo em relação onde queremos chegar.

Sendo assim, mudanças são bem aceitas, mas com critério e considerando que definições mínimas, premissas e restrições devem ser preservadas, sob a pena de se não o fizermos potencializaremos o projeto ao fracasso, pois perderemos o rumo!

Bons estudos!

Ótima explicação! A possibilidade de alterar o projeto ao longo de sua execução permite que o resultado final seja o mais próximo possível ao idealizado pelo cliente, porém é importante ter um arcabouço inicial que dê um norte ao projeto senão corre-se o risco de elevar muito o custo final. Entendo que também é importante uma boa pesquisa inicial para se ter certeza do que é esperado pelo cliente.

O software, diferentemente de um imóvel, não é um produto estável. Justamente porque o software se parece mais com um ideia do que um produto acabado. Ele é dinâmico, por 2 motivos principais: primeiro, quem vai utilizá-lo em geral não tem todas as necessidades mapeadas; segundo, a ritmo de mudanças no mundo é tão alto que qualquer ideia formada sobre o assunto em questão pode ser inválida pouco tempo depois.

É essa necessidade dinâmica que inviabiliza o modelo em cascata na nossa realidade atual.

Usar o método Waterfall no desenvolvimento de softwares vai engessar o processo e dificultar que os requisitos do cliente sejam atendidos.