Solucionado (ver solução)
Solucionado
(ver solução)
3
respostas

Como escolher quem será entrevistado

Concordo ser importante entrevistar usuários para ajudar na criação das personas, mas como selecionar as pessoas que vão ser entrevistadas, considerando um universo bem variado em muitos aspectos e um montante muito elevando de usuários, digamos, na casa das dezenas de milhões?

3 respostas

Oii, Willians! Tudo bem?

Ótima pergunta! Alguns pontos precisam ser levantados para que a pesquisa seja realizada com os usuários corretos e tem algumas maneiras de encontrar esses usuários, como, por exemplo, em fóruns na internet, grupos em redes sociais, uma base de dados caso tenha.

Esse é um assunto muito interessante e você pode obter mais conhecimento sobre como realizar uma boa pesquisa com os usuários fazendo a formação de UX Research daqui da Alura, segue o link:

Espero ter ajudado. Conte com a Alura para evoluir nos estudos!

Bons estudos!

Caso este post tenha lhe ajudado, por favor, marcar como solucionado ✓. Bons Estudos!

Oi, Nathalia. Obrigado pela resposta.

Em relação à parcela da população que está presente no mundo digital de forma mais ou menos atuante, daria para achar alguns modelos de usuários. Mas o que me preocupa mais é como achar de forma correta os tipos que não estão no mundo digital. Ainda fica um pouco no campo o achismo.

solução!

Olá Willians!

Excelente pergunta a sua. Ela está presente nas mesas de discussões de diretoria de empresas de diversos tamanhos e nas discussões de consultorias de pesquisa também. Dada a complexidade, não existe uma única resposta certa. Mas sim alguns critérios que você poderá utilizar para chegar na resposta certa para você. Vou elencar alguns pontos abaixo:

1 Quem é o seu segmento de clientes? Uma das coisas mais difíceis é segmentar. Mas acredite, é essencial. Veja a Coca-Cola. Ela poderia dizer que seu produto é para todo mundo, pois é uma bebida não alcoólica. Certo? Porém há muitos anos a empresa percebeu que não é bem assim. Não apenas nichou seu público (representado pela sua comunicação) como tomou decisões sobre aquisições e lançamentos de novas marcas para ampliar sua cobertura de mercado.

Agora, pense no seu produto. Quem tem o fit perfeito com ele? Qual o problema que a solução que ele propõe encaixa perfeitamente? Quanto mais específico você for, mais fácil será fazer essa conexão. Faça escolhas! Todo mundo é muito caro e complexo. Comece pelo mais importante.

2 O que você já sabe sobre essas pessoas? Quais os canais onde estão presentes? Você tem toda razão! Nem todo mundo está online ou, se está, não necessariamente responderá sua pesquisa. Recentemente eu conduzi uma pesquisa junto a um fabricante de utensílios para caminhões. Nossa estratégia envolveu um grupo de pesquisadores distribuídos por pontos-chave nas regiões do nosso interesse, parando em postos de combustíveis de beira de estrada e em revendas de caminhões para conversar com os caminhoneiros.

Em outro caso, ao conduzir uma pesquisa para profissionais do agronegócio que estão dentro das fazendas, descobrimos que grupos no Facebook eram potenciais para buscar aproximação (na nossa crença eles nem estariam online).

3 Quantas entrevistas preciso? Na pesquisa quantitativa, você poderá contar com ferramentas como calculadoras de amostra disponíveis na internet (ou mesmo perguntar pro ChatGPT). Na pesquisa qualitativa, você deverá buscar a saturação de dados. Ou seja, quando as respostas começam a se repetir. Isso pode acontecer já com 6, 7 entrevistas ou mais de 100. Quanto mais clusters você tiver, maior será esse número.

Em resumo, Por maior que seja seu potencial de capilaridade, fazer escolhas e priorizar a compreensão de um ou dois segmentos por vez permitirá que você dê passos mais sólidos, ainda que você possa ampliar sua compreensão depois. O lugar certo para recrutar pessoas vai depender dessa definição.

Espero ter ajudado! Explore outros cursos e formações da plataforma para tirar o melhor proveito e precisando, estarei aqui para você! :)

Um abraço,

Aline Roque

Quer mergulhar em tecnologia e aprendizagem?

Receba a newsletter que o nosso CEO escreve pessoalmente, com insights do mercado de trabalho, ciência e desenvolvimento de software