Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se
Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se

Sobre o tempo ocioso antes da virtualização

Boa tarde,

Foi citado que um dos motivos para migrar de uma solução "física" para "virtualizada" foi a capacidade computacional ociosa. No caso da física muitas vezes era utilizado 15% do processamento da máquina e ficava 75% aguardando um cenário de alto voluma (blackfriday por exemplo). Após a virtualização esse espaço que aguardava passou a ser preenchido, ficando em 90%, ou seja, restando apenas 10% em caso de alto volume.

1 - Considerando isso, como é resolvido os problemas de pico com no caso da virtualização?

2 - É preciso manter outro servidor físico para criar máquinas virtuais em caso de alto volume? Esse outro servidor físico ficava já previamente preparado? Neste caso teria custo também.

3 - Se não era mantido outro servidor físico, como criar mais VM no mesmo servidor físico?

Em resumo, eu entendi que a virtualização ajudou a diminuir a capacidade de processamento ociosa, mas como ela ajudou a diminuir o "custo", já que precisa ter uma capacidade ociosa para casos de alto volume? Ou com a virtualização não precisa?

1 resposta

Oi Cesar, para esses casos temos as seguintes soluções:

1 - Como a maquina é virtual, podemos criar quantas forem necessárias para atender a demanda em segundos.

2 - Não necessariamente já que o servidor físico é muito robusto e está conectado a uma rede de alta capacidade com outras máquinas, o processamento pode ser distribuído. Como estamos usando um ambiente como serviço, essa não é uma preocupação nossa em si, mas caso fosse um servidor local na empresa, sim, você precisaria de mais máquinas ou fazer upgrade na máquina.

3 - Como o processamento agora é compartilhado, um super-servidor agora pode tomar conta de dezenas de aplicações ao invés de um servidor por aplicação. Isso quer dizer que a gente precisa de menos máquinas físicas, reduzindo o custo.

A questão é que com a virtualização, como já disse, ajudou a diminuir o número de máquinas físicas consideravelmente, imagina, antes para 5 aplicações, você precisava de 5 máquinas, agora, com 1 só, você pode atender as 5 aplicações e mesmo que você não descarte as 4 máquinas restantes, elas só serão ativas quando realmente necessário.

O custo de manter várias máquinas é multiplicativo: energia, dissipação de calor, manutenção de hardware, software. Faz sentido?