Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se
Ainda não tem acesso? Estude com a gente! Matricule-se

Solucionado (ver solução)

Dúvida sobre os grafismos

Eu fiquei em dúvida sobre qual a melhor maneira de criar o grafismo. Estou trabalhando em um logo relacionado a artesanatos, mas fiquei em dúvida sobre as aplicações. Os grafismos seriam formas, objetos ou padrões que conversam com a marca criada, certo? Fiquei em dúvida se um grafismo poderia interagir com o logo ou ele apenas entraria nas aplicações. Também fiquei em dúvida se no manual vão todos os grafismos possíveis ou se apenas a referência de como aplica-los e possibilidades.

3 respostas

Boa tarde Livia!

Não sei se entendi direito sua dúvida.

No projeto do instrutor foi criado um logo dinâmico, ou seja, é um logo que se adapta a diversas situações mudando sua forma conforme a ocasião, porém mantendo um padrão entre eles.

O grafismo falado em aula esta se referindo ao estilo do logo (formatos de bytes).

As empresas que optam por ter um logo dinâmico, possuem mais de uma área/departamento/eventos, isso ajuda porque reforça a idéia que você quer passar, além do texto de apoio.

Exemplo de logo dinâmico - https://www.underconsideration.com/brandnew/archives/new_logo_and_identity_for_mit_media_lab_by_pentagram.php

Sobre apresentar suas variantes no Manual de Identidade - Sim! Sempre que possível mostre todas as possibilidades.

Espero ter ajudado e bons estudos!

Att,

Fábio Gushiken

Minha dúvida era com relação ao grafismo. É interessante sempre criar um grafismo? Quando é bom e quando não é? O grafismo pode interagir com o logo ou ele é um background ou padrão que tem relação com o logo sem interagir com ele?

Mas achei interessante a observação que você colocou sobre o logo dinâmico. Obrigada Fábio :)

solução

Oi Livia, tudo bom?

Você não precisa criar grafimos para uma merca, mas é algo que acontece naturalmente durante sua vida nos layouts que os designers criam.

O comum é que a identidade visual traga alguns caminhos, como patterns, backgrounds e outros elementos gráficos. Às vezes são exemplos, às vezes são mais taxativos e não admitem variações, depende mesmo da proposta da marca.

O mesmo vale para interação com o logo, vai depender do projeto. No caso do Bytebank, há um espaço de proteção em torno do logo e nem o grafismo pode invadí-la, salvo no caso do background, que fica em segundo plano mesmo; seria até redundante, já que o grafismo decorre diretamente do logo.

É idéia interessantíssima estudar marcas cujos logos e grafismos se comuniquem e interajam, mas não é a proposta do Bytebank. Se criar algo nesse sentido compartilhe conosco! =)

De forma geral, quanto mais importantes e taxativos forem os grafismos, backgrounds e elementos visuais, mais espaço os manuais de marca costumam reservar a eles para refletir tal decisão.

Espero ter ajudado!

Um abraço!

Quer mergulhar em tecnologia e aprendizagem?

Receba a newsletter que o nosso CEO escreve pessoalmente, com insights do mercado de trabalho, ciência e desenvolvimento de software